Bem Vindo  Siga-nos

Backgroudn Entendendo

Entendendo a esclerose múltipla

Visão geral

A esclerose múltipla (EM) é uma condição que pode afetar o cérebro e a medula espinhal, causando uma ampla gama de sintomas, incluindo problemas com o equilíbrio, com o movimento dos braços ou pernas, sensibilidade ou a visão.

É uma condição crônica, assim como outras condições autoimunes, como o Lúpus e o Diabetes Tipo 1, que acompanha o indivíduo ao longo vida. Às vezes pode causar sérias deficiências, embora ocasionalmente possa ser leve.

É mais comumente diagnosticado em pessoas entre 20 e 40 anos, embora possa se desenvolver em qualquer idade. É cerca de 2 a 3 vezes mais comum em mulheres que em homens, especialmente naquelas com mais de 40 anos, onde os casos têm aumentado mais.

A EM é uma das causas mais comuns de incapacidade em adultos mais jovens.

Sintomas da esclerose múltipla (EM)

Os sintomas da EM variam muito de pessoa para pessoa e podem afetar qualquer parte do corpo.

Os principais sintomas incluem:

  • Dificuldade para caminhar
  • Problemas com a visão, como visão turva
  • Dormência ou formigamento em diferentes partes do corpo
  • Rigidez muscular e espasmos
  • Problemas com equilíbrio e coordenação
  • Problemas de memória e planejamento
  • Problemas no controle da bexiga
  • Fadiga

 

Obtenha ajuda médica

Consulte um médico clínico geral se estiver preocupado com os sinais precoces de esclerose múltipla, ou mesmo um neurologista. Os sintomas iniciais geralmente têm muitas outras causas, portanto não são necessariamente um sinal de EM.

Informe o seu médico sobre o padrão específico de sintomas que você está enfrentando. Se acham que você pode ter esclerose múltipla, você será encaminhado(a) a um neurologista, que poderá sugerir testes como uma ressonância magnética para verificar se há características da esclerose múltipla.

Dependendo do tipo de EM que você tem, seus sintomas podem ir e vir em épocas ou então piorar constantemente ao longo do tempo (progressão).

Saiba mais sobre o diagnóstico de EM

Tipos de esclerose múltipla (EM)

A EM se inicia de uma de duas formas: com recaídas (surtos, ataques ou exacerbações) ou com progressão gradual.

EM remitente recorrente

Mais de 8 em cada 10 pessoas com EM são diagnosticadas com o tipo de remitente recorrente.

Alguém com EM remitente recorrente terá episódios de sintomas novos ou agravantes, conhecidos como surtos, ou recaídas.

Normalmente pioram por alguns dias, duram dias ou semanas ou meses e depois melhoram lentamente por um período semelhante.

Recaídas geralmente ocorrem sem aviso, mas às vezes são associadas a um período de doença ou estresse.

Os sintomas de uma recaída podem desaparecer completamente, com ou sem tratamento, embora alguns sintomas persistam com frequência, com ataques repetidos ao longo de vários anos.

Períodos entre os surtos são conhecidos como períodos de remissão. Estes podem durar anos.

Após muitos anos (geralmente décadas), muitas pessoas com EM remitente recorrente, mas não todas, evoluem com quadro de EM progressiva.

EM progressiva secundária

Nesse tipo de EM, após anos apresentando apenas surtos, os sintomas passam a piorar gradualmente com o tempo, sem surtos óbvios. Algumas pessoas continuam tendo recidivas pouco frequentes durante esse estágio.

Cerca de metade das pessoas com EM remitente recorrente desenvolverão EM progressiva secundária dentro de 15 a 20 anos, e o risco disso acontecer aumenta quanto mais tempo você tiver a doença. Leia mais sobre EM secundariamente progressiva.

EM progressiva primária

Pouco mais de 1 em cada 10 pessoas com essa condição inicia sua EM com uma piora gradual dos sintomas.

Na EM primária progressiva, os sintomas pioram gradualmente e se acumulam ao longo de vários anos, e não há períodos de remissão, embora as pessoas geralmente tenham períodos em que sua condição parece estabilizar. Leia mais sobre a EM primariamente progressiva.

O que causa a esclerose múltipla (EM)?

Como mencionado acima, a EM é uma condição autoimune. É quando algo está errado no sistema imunológico que  acaba atacando erroneamente uma parte saudável do corpo – nesse caso, o cérebro ou a medula espinhal do sistema nervoso.

Na EM, o sistema imunológico ataca a camada que circunda e protege os nervos chamados de bainha de mielina.

Isso danifica e cicatriza a bainha, e potencialmente os nervos subjacentes, o que significa que as mensagens que viajam ao longo dos nervos ficam mais lentas ou interrompidas.

Exatamente o que leva o sistema imunológico a agir dessa maneira não está claro, mas acredita-se que está envolvida uma combinação de fatores genéticos e ambientais.

Tratamentos para esclerose múltipla (EM)

Atualmente não há cura para a EM, mas vários tratamentos podem ajudar a controlar a condição.

O tratamento que você precisa dependerá dos sintomas e dificuldades específicos que você tem.

Pode incluir:

  • Tratamento dos surtos com períodos curtos de corticoides para acelerar a recuperação.
  • Tratamentos específicos para sintomas individuais da EM.
  • Tratamento para reduzir o número de recaídas usando medicamentos chamados terapias modificadoras de doença.

As terapias modificadoras de doenças também podem ajudar a retardar ou reduzir o agravamento geral da incapacidade em pessoas com EM remitente recorrente e naquelas com EM progressiva primária ou secundária que apresente surtos.

Infelizmente, atualmente não existe tratamento aprovado para retardar a progressão da EM progressiva secundária sem surtos. Mas muitas terapias com o objetivo de tratar a EM progressiva estão sendo pesquisadas.

Viver com esclerose múltipla (EM)

Se você foi diagnosticado com EM, é importante cuidar da sua saúde geral. Tenha mais informações sobre como viver com EM. Se um familiar foi diagnosticado com EM, saiba como ajudá-lo.

mais Expanda seu conhecimento

Recursos Adicionais

Cursos on-line

Faça parte do Esclerose Múltipla Brasil e tenha acesso ao nosso curso gratuito e muito mais! Fique bem informado de forma clara e objetiva, facilitando sua jornada.